Rave Operática

com distanciamento Social

5 SET | 22h00

Jardim do Museu Nacional de Arte Antiga

 

Ópera funde na música pop e música pop na ópera

Convida-se o público a realizar uma viagem delirante ao mundo pop ópera, com distanciamento social e lugar marcado, como manda o código covid.

Homenagens a estrelas que cruzaram os dois mundos: Nina Hagen, Klaus Nomi, mas também às divas Marias Callas e Mirella Freni (recentemente desaparecida).

Hapenings operáticos invadem o espaço.

Estreia absoluta da micro-ópera orgásmica de Ana Seara, “Prazer”.

Djs convidados, cantores líricos, improvisadores, compositores e músicos de vários quadrantes realizam misturas líricas irresistíveis.

Dress code: para além da obrigatória máscara “covideira” apelamos o público a dar asas à imaginação e mascarar-se operaticamente do barroco ao futurismo.

 

Afonso de Portugal (compositor e electrónica), Iguana Garcia (electro-pop), Royal Bermuda (Luso-tropicalismo), Lieben (acid house techo/electrónica), Ana Seara (compositora e electrónica)
Catarina Molder (soprano), Manuel Brás da Costa (contra-tenor), Rui Baeta (barítono)

Prazer

Ana Seara

Estreia absoluta

Sessões contínuas, in Rave operática

Duração: 4’ 

 

Em estreia mundial esta micro-ópera questiona e evoca em termos sonoros as fronteiras do prazer e da dor, no feminino e no masculino, até ao clímax.