Novidades

Balanço Operafest Lisboa 2021

 

Na sua 2ªEdição o OPERAFEST LX 2021, chegou com plateias reduzidas a 50%, directamente a 3700 pessoas, com nova aposta ganha em dinamizar o mercado de ópera português e trazer a ópera para mais próximo do mundo de hoje!

Com ampla cobertura mediática, foi o único evento que trouxe ópera encenada a Lisboa durante 2021, de  20 de Agosto a 11 de Setembro passado, no cenário de sonho do Jardim do Museu Nacional de Arte Antiga, com produções todas em estreia, elogiado pela crítica internacional “Coragem, audácia, imaginação: esta trilogia que gostaríamos de encontrar mais frequentemente na programação das veneráveis Instituições musicais, ilustram perfeitamente o jovem festival Operafest Lisboa”, in Première Loge

Com uma forte adesão do públicos e óptimos ecos do público e da crítica apresentou a Madama Butterfly de Puccini encenada pelo coreógrafa Olga Roriz, trouxe a Lisboa passados mais de 40 anos a mais aclamada ópera de Gian-Carlo Menotti, na primeira incursão na ópera e com grande sucesso da actriz e encenadora Sandra Faleiro. Dose-dupla encenada por António Pires com Mahagonny Songspiel de Kurt Weill e a estreia absoluta de Ana Seara “Até que a morte nos separe”. Ainda apresentou uma gala de ópera com o tenor Mads Wighus, proporcionou aulas de auto-descoberta vocal e culminou com uma rave operática! 14 espectáculos, 1 estreia absoluta, 1 concurso de ópera contemporânea, cruzamentos múltiplos.

Ecos crítica Internacional:

“Madama Butterfly em Lisboa ou a Borboleta do Tejo”, Stephane Lelièvre para Bachtrack

“Festivais de Verão - Operafest 21: A Médium em Lisboa, mesa giratória à beira do Tejo", Pierre Brévignon for Première Log

“Médium encantadora no Operafest em Lisboa”, Stephane Lelièvre para Bachtrack

O jovem compositor João Ricardo venceu o concurso de ópera contemporânea - Maratona Ópera XXI - Novas Árias, com a sua ária para tenor “Quando enganei os deuses”, com texto de Tatiana Faia, interpretada pelo tenor João Valido Vaz e pelo pianista Philippe Marques, recebendo o Prémio Carlos de Pontes Leça no valor de 1500€ com uma nova encomenda.

A Ópera em estreia absoluta no Operafest Lisboa 2021 “Até que morte nos separe” de Ana Seara foi filmada pela RTP2 será exibida dia 23 de Outubro, sábado, pelas 22h00, por ocasião do dia Mundial da Ópera (dia 25 de Outubro), aumentando para dezenas de milhar o público indirecto abrangido pelo Operafest.

O Operafest mais uma vez apostou na diversidade e igualdade, tendo como prioridades a dignificação do trabalho jovem. Dos seus cerca de 115 colaboradores, não contou nem com estagiários, nem com voluntários,  cerca 40% são jovens até 30 anos, todos pagos dignamente e graças ao seu talento e entrega transbordante é que se deve também o sucesso do Operafest. Outra prioridade: assumir-se como um festival verde, que recicla as suas cenografias, figurinos e todo o tipo materiais, assim como evitar o lixo e o desperdício, durante todas as fases do trabalho.

Para o ano estaremos de volta com mais mais emoção da ópera para todos!